Energia: o que é?
O termo ‘Energia’ é hoje muito usado pelos defensores de muitas artes e crenças. Desde as medicinas alternatives a varios misticismos e religiões podemos ver expressões como ‘energias cósmicas’, ‘campos de energia’, ‘energias positivas ou negativas’, ‘bloqueios de energia’ e afins.

Mas afinal o que é energia?

Na sua definição mais básica, energia é a capacidade de gerar trabalho. Isto não parece esclarecer muito, mas demonstra o facto importante que a energia não é uma entidade independente mas sim uma propriedade de outras coisas.

Para melhor perceber isto, vejamos um caso análogo: a velocidade. Todos sabemos o que é a velocidade – a variação na posição a cada instante – e a velocidade é também uma propriedade de um sistema e não uma coisa que possa existir sozinha.

Quando pisamos o acelerador, a velocidade do carro aumenta. Quando travamos, a velocidade diminui. A velocidade do carro varia mas não é correcto dizer que a velocidade flui para o carro quando este acelera ou se esvai qando travamos. A velocidade é uma propriedade do carro, não uma coisa que anda pelo ar à espera de ser usada.

Com a energia passa-se exactamente o mesmo. Quando acendemos um fósforo, os materiais a arder alteram-se e a energia deste sistema diminui (como diminui a velocidade do carro em travagem) e a energia de outros sistemas aumenta, como o ar circundante que aquece ou a luz emitida. A energia não é algo que esteja a passar de um lado para outro. O que acontece é que sempre que a quantidade de energia dum sistema é reduzida a energia de outro sistema tem que aumentar.

A grande differença enetre energia e velocidade é que a energia é sempre conservada. A energia de um sistema só pode diminuir se a energia de outro sistema aumetar exactamente a mesma quantidade. Isto torna natural que se imagine a energia como uma substância que salta de um lado para outro, mas esta não é uma imagem rigorosa do que de facto se passa. Para ilustrar, vejamos novamente o exemplo da velocidade, mas neste caso sob condições em que a velocidade é também conservada.

Imagine que se encontra à deriva no espaço em direcção a uma estação espacial a 30km/h, e que trouxe consigo da Terra uma rocha do seu peso. Se atirar a rocha de forma a que esta se aproxime da estação a 40km/h, a sua velocidade será reduzida para 20km/h. A velocidade total permanece a mesma, mas em vez de tanto você como a rocha se moverem a 30km/h, a sua velocidade será 20km/h e a da rocha 40km/h. Podemos imaginar que 10km/h de velocidade passaram de si para a rocha, mas esta analogia é arriscada porque dá a impressão que a velocidade é algo que podemos transportar ou passar de uma coisa para outra.

A ideia da energia como uma substância que é transferida entre sistemas tem o mesmo problema. É útil para nos relembrar que a energia total é uma quantidade conservada (ou seja, que a soma da variação em todos os sistemas é nula), mas não pode ser levada para além disto, pois tal como a velocidade, a energia é uma propriedade e não uma ‘coisa’.

No entanto, é comum ver a palavra ‘energia’ usada como se referisse a uma substância. Assim, em acupunctura fala-se da remoção de bloqueios ao fluxo de energia. Alguns terapeutas propõe corrigir os ‘campos de energia’ que suspostamente nos rodeiam e onde ‘energias negativas’ se podem acumular, e algumas ervas são apresentadas como capazes de ‘equilibrar’ as nossas ‘energias’.

O significado de energia nestes casos nada tem a ver com o verdadeiro sentido da palavra, sendo apenas usada como uma forma aparentemente científica para referir conceitos misticos como espírito ou alma ou simplesmente sensasões como bem estar ou calor corporal.

Também é importante lembrar que a energia, como a velocidade, é uma propriedade quantificável. Não é útil dizer que um carro tem velocidade se não se der nenhuma noção da quantidade de velocidade, tal como o dobro de um outro carro ou 100km/h. Da mesma forma, dizer que um processo envolve energia não é informativo se não hover uma indicação da quantidade. Tanto um fósforo a arder como uma explosão nuclear podem implicam variações de energia, mas são processos muito diferentes devido às quantitades de energia envolvidas. Na maior parte dos casos em que o termo ‘energia’ é usado de uma forma incorrecta não é mencionada a quantidade nem como a medir.

Sempre que encontrar o termo ‘energia’, lembre-se que esta palavra se refere a uma propriedade de algo (do mesmo modo que velocidade) e não a uma substância ou entitade. Não há tipos diferentes de velocidade, nem tipos diferentes de energia. Não há seres feitos de velocidade, nem seres feitos de energia. E, tal como com a velocidade, é inútil dizer que algo tem energia se não se tiver sequer uma idéia da quantidade.

Agradecimentos:

Agradecemos aos membros da lista Skeptic em listproc@listproc.hcf.jhu.edu pela sua preciosa ajuda na preparação deste documento.

 

Todo o material da autoria da Associação Cépticos de Portugal é de domínio público, e pode ser usado livremente, sem alterações, para fins não lucrativos. Agradece-se que qualquer utilização deste material refira a Associação Cépticos de Portugal como fonte.

www.cepo.interacesso.pt